Você Conhece Esclerose Múltipla? Saiba Como Você Pode Controla-la.

Você Conhece Esclerose Múltipla? Saiba Como Você Pode Controla-la.

Esclerose Múltipla.

Sintomas da Esclerose Múltipla

A Esclerose Múltipla é uma doença neurológica crônica muito comum que afeta jovens adultos ente 20 e 40 anos, Por enquanto, não tem cura.

Grupo de jovens

Definitivamente ainda não há uma causa única conhecida de Esclerose Múltipla.

Mas muitos fatores genéticos e ambientais têm contribuído para o seu desenvolvimento.

 

Na EM, o próprio sistema imunológico do corpo ataca erroneamente e danifica o material gorduroso – chamado mielina – ao redor dos nervos.

A mielina é importante para proteger e isolar os nervos para que as mensagens elétricas que o cérebro envia ao resto do corpo viajem de forma rápida e eficiente.

Esclerose múltipla: o que é e tratamento

Evolução da Esclerose Múltipla

 

Síndrome Radiologicamente Isolada (SRI).

Primeiramente, pode haver alterações no cérebro, vistas na ressonância magnética, sugestivas de Esclerose Múltipla, mas não há sinais ou sintomas que indiquem um problema.

 

Síndrome Clinicamente Isolada (SCI)

Nesse sentido a síndrome clinicamente isolada é um primeiro episódio de doença neurológica causada por inflamação e desmielinização que é a mesma coisa de Esclerose Múltipla, mas ainda não pode ser diagnosticada como Esclerose Múltipla.

As pessoas que sofrem um SCI podem, ou não, ter a doença.

 

EM Surto-Remissão (EMSR)

Assim a EMSR é caracterizado por agravamento seguido por períodos de recuperação parcial ou completa.

Durante a fase de remissão, todos ou alguns dos sintomas podem persistir ou se tornar permanentes. Pode haver ou não aumentos confirmados na incapacidade em períodos pós-epidêmicos.

 

EM Secundária-Progressiva (EMSP)

A EMSR pode progredir para EM Secundária Progressiva. Mas se no passado essa progressão ocorria em cerca de 90% dos casos em 25 anos, hoje, graças às novas opções terapêuticas, não é mais a mesma.

Do Mesmo modo este tipo de EM é caracterizado por incapacidade progressiva e diminuição da função com ou sem períodos de recaída e remissão.

 

Esclerose Múltipla Quadro de Evoções

 

Tratamentos Para a EM

Desde que confirmado o diagnostico, o tratamento tem duas funções principais evitar a fase aguda e tentar aumentar o intervalo entre os surtos.

Logo no começo do tratamento são usados os corticoides para reduzir a intensidade dos surtos. do mesmo modo imunossupressores e imunomoduladores ajudam a ter um tempo maior entre os surtos, ajudando a evitar efeitos negativos na vida dos portadores de EM.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *